sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Efeitos da falta de água no organismo

O mecanismo da sensação de sede é tão fraco, que com freqüência, 37% dos seres humanos a confunde com a fome? Ainda mais, uma desidratação imperceptível retardará o metabolismo em aproximadamente 3%. Um copo de água aliviará a fome à meia noite, em quase 100% dos casos, sob dieta redutora, segundo um estudo realizado na Universidade de Washington.

Uma redução de somente
2% de água no corpo pode causar perda momentânea de memória, dificuldade em fazer contas matemáticas básicas e problemas de focar a visão sobre uma tela de computador ou sobre uma página impressa? Beber um mínimo de 8 copos de água por dia diminui o risco de câncer de cólon em 45%, além de baixar o risco de câncer de mama em 79%
e reduzir à metade a probabilidade de se desenvolver câncer na bexiga.

De acordo com os experts, isto não é opcional, é obrigatório, se quisermos que nosso cérebro funcione de uma maneira ótima. E, se estamos estressados, devemos aumentar a quantidade para
16 copos de água por dia. 90 %
do volume de nosso cérebro é composto por água, que é o principal veículo das transmissões eletroquímicas.

Você não pode imaginar o que
8-10
copos de água por dia podem fazer para eliminar muitas indisposições. As pessoas normalmente NÃO bebem tal quantidade para evitar ter que urinar seguidamente; um inconveniente menor em troca de uma melhoria em sua saúde.

A cor de sua urina deve ser de um amarelo muito fraco ou incolor, caso contrário você não está ingerindo suficiente água (isto não é válido se você esta tomando vitaminas do complexo B, que produzem uma cor amarela natural à urina).

Ao falar de beber água, não nos referimos à água contida no café, nos chás ou nos refrigerantes. A água engarrafada ou de fontes naturais é a melhor. Estudos preliminares indicam que em
80% das pessoas, beber de 8 a 10
copos de água por dia, pode aliviar significativamente muitas indisposições.

Continua

Efeitos da falta de água no organismo

Cura 1: Elimina os antiácidos e cura a acidez estomacal. - A acidez estomacal ou azia pode ser um sinal de falta de água na parte superior do trato gastrointestinal. Este é um sinal, importante de sede, que o corpo humano emite. A ingestão de antiácidos ou comprimidos contra a acidez estomacal não corrige a desidratação e o corpo continua sofrendo por falta de água no organismo.

Tragédia: Ao não reconhecer que a acidez estomacal é um sinal de desidratação e ao tratá-la por meio de antiácidos, com o tempo, poderão ocorrer inflamações estomacais no duodeno, hérnias hiatais, úlceras e eventualmente câncer no trato gastrointestinal ou no pâncreas e fígado.

Cura 2: A água pode prevenir e curar a artrites - Dor reumática das articulações – A ocorrência de atrites pode ser um sinal de falta de água nas articulações. Pode afetar tanto aos jovens como aos adultos. O uso de analgésicos não resolve o problema e a enfermidade prosseguirá. Tomar água pode aliviar a dor ou resolver este problema.

Cura 3: Dores lombares - A dor nas costas e a artrites paralisante da espinha dorsal podem ser sinais de falta de água nos discos da espinha dorsal – os amortecedores que suportam o peso do corpo. Estas moléstias devem ser tratadas com o aumento de água a ser ingerida diariamente.

Tragédia: Ao não reconhecer que a dor nas costas é um sintoma de desidratação das articulações e ao tratá-la com analgésicos, massagens, acupuntura e eventualmente cirurgia, com o passar do tempo, isto provocará osteoporose e quando as células das cartilagens das articulações vierem a eventualmente morrer e causarem uma deformação na espinha dorsal poderá até haver incapacidade física dos membros inferiores.

Cura 4: Angina - Dor no peito - angina de peito – pode ser um sinal de falta de água no organismo entre o eixo do coração e dos pulmões. Este sintoma deve ser tratado bebendo-se maior quantidade de água, até que o paciente já não tenha dor e sem tomar medicamentos. É prudente se providenciar supervisão médica, no entanto, ao aumentar-se à quantidade de água ingerida, pode-se curar a angina de peito.

Continua

Efeitos da falta de água no organismo

Cura 5: Enxaqueca - A enxaqueca pode ser um sintoma de falta de água requerida no cérebro e olhos e pode ser evitada ao se impedir a desidratação do corpo. Este tipo particular de desidratação eventualmente ocasiona uma inflamação na parte posterior dos olhos e possivelmente uma diminuição ou perda de visão.

Cura 6: Colite
- A colite é um sinal de falta de água no intestino grosso. Associa-se com a prisão de ventre ou constipação, devido à constrição do excesso de água que também se exerce sobre os excrementos, que por sua vez perdem a lubrificação fornecida pela água.

Tragédia: Ao não se reconhecer a dor da colite como um sinal de falta de água, provocar-se- á uma condição de constipação persistente que resultará na compactação das fezes, que por sua vez poderão causar vertículos, pólipos e hemorróidas, e aumentar a possibilidade de se contrair câncer do cólon e do reto.

Cura 7: Asma - A asma afeta milhões de crianças e mata milhares delas, a cada ano. É uma complicação da desidratação do corpo, causada por falha no programa de administração da hidratação no organismo. Obstrui-se a passagem livre de ar e impede-se a eliminação de água do corpo em forma de vapor – o bafo. O aumento do consumo de água evita os ataques de asma.

Tragédia: Ao não se reconhecer a asma como um indicador de falta de água quando as crianças estão na fase de desenvolvimento, não somente muitos deles morrem, como também se provocará danos irreversíveis nas crianças asmáticas sobreviventes.

Cura 8: Pressão Alta - A hipertensão é um estado de adaptação do corpo a uma desidratação geral quando as células dos vasos sanguíneos não obtêm a quantidade de água suficiente. Como parte do mecanismo de osmose inversa, quando a água do soro é filtrada e injetada nas células importantes através de poros diminutos existentes em suas membranas, é requerida uma pressão extra para o “processo de injeção”, tal como acontece quando se injeta o “soro” nos hospitais para re-hidratar milhões de células. Beber água compensará a pressão e fará a mesma voltar à normalidade.

Tragédia: Ao não reconhecer que a hipertensão arterial é um dos indicadores da desidratação corporal e tratar por meio de diuréticos que desidratarão o corpo ainda mais, trará como conseqüência posterior, um bloqueio das artérias do coração e das artérias que vão até o cérebro pela ação do colesterol.

Estas condições provocarão ataques do coração, pequenas infartos massivos cerebrais que poderão paralisar alguma parte do corpo. Também podem causar falhas no funcionamento dos rins e danos neurológicos como a doença de Alzheimer.

Continua

Efeitos da falta de água no organismo

Cura 9 - Diabetes Tipo II ou de Adultos - A diabetes dos adultos é outra causa provável devida à desidratação do corpo. Ao se manter uma quantidade adequada de água na circulação, incluindo-se as necessidades prioritárias do cérebro, a secreção de insulina se inibe para impedir a entrada de água nas células do corpo. Nos diabéticos somente algumas células obtêm suficiente água para sobreviver. Beber água reverte a diabetes adultas para as etapas iniciais.

Tragédia:
Ao não reconhecer que a diabete adulta é uma complicação causada por desidratação, com o tempo, poderá haver danos massivos nas células sanguíneas de todo o corpo. Isto pode provocar mais tarde a perda dos dedos dos pés, das pernas por gangrena e causar a cegueira.

Cura 10 - Colesterol no sangue - Os altos níveis de colesterol são indicadores de uma desidratação corporal prematura. O colesterol é um material argiloso que se adere entre os espaços de algumas membranas celulares, para impedir que estas percam sua umidade vital pela pressão osmótica mais forte do sangue que circula nas áreas vizinhas.

O colesterol, além de ser utilizado na fabricação das membranas das células nervosas e de hormônios, também atua como un “escudo” contra a demanda de água de outras células vitais que normalmente trocam água através de suas membranas celulares.

Outras curas - A depressão, a perda de libido, a fadiga crônica, o lupus, a esclerose múltipla, a distrofia muscular. Todas estas condições podem ser causadas por desidratação prolongada. Se esta for à causa provável, os sintomas se aliviarão, uma vez que o corpo tenha sido hidratado regularmente. Nestas condições, o exercício muscular deve ser parte do programa de tratamento.

Disfarce suas neuras e mostre o corpo no verão

Aprenda a esconder os centímetros a mais e aproveite o calor à vontade.

Verão é tempo de suar. Só que nem sempre a molhadeira é causada pelo calor, tem mulher que já derrete agora, só de pensar em manter o corpo mais descoberto e mostrar uns centímetros a mais nos decotes, nas saias curtas ou nas roupas de praia. Mas como a gente sabe que você é esforçada e só precisa de um tempinho para comemorar os resultados da dieta e dos exercícios, resolvemos montar um manual de primeiros-socorros, para disfarçar as dobrinhas que -- bate na madeira três vezes! - logo mais vão derreter.

Foi tudo feito com a ajuda da Catarina Novaes, consultora e produtora de moda poderosa, que sabe todos os truques para você sair linda nas fotos e conquistar todos os olhares por onde passar.

Continua

Disfarce suas neuras e mostre o corpo no verão

Barriga? Que barriga?: O ideal para disfarçar a barriguinha é dar destaque aos ombros e quadris, criando a criar a impressão de cintura mais fina. Mas esse truque só vale para quem não tem o quadril largo coisa rara entre as brasileiras.
Se você tem o bumbum grande: destaque o ombro e o colo, chamando atenção com colares, lenços e decotes em V ou ombro a ombro. As blusas que têm recorte logo abaixo do busto e são mais soltinhas do seio até a barra (tipo bata) são perfeitas neste caso.

Vestidos e trapézios também são uma boa, mas a escolha das cores deve ser feita com muita cautela, as laterais sempre devem ser mais escuras em caso de bicolores, para afinar a silhueta. Nada de estampas grandes, que se destacam ainda mais no corpo. Outras opções legais são os bodys que modelam o corpo

Também existem cintas que ajudam a atenuar a barriguinha. Mas elas nem sempre são confortáveis e tendem a ficar ainda mais incômoda no verão. Se a barriguinha for só um pouquinho saliente, vale arriscar umas peças mais justas. Experimente também os lingeries modeladores, algumas até sem costura, são mais confortáveis, e dão um ótimo resultado.

Afine o quadril largo: Para isso, a solução é valorizar o tronco, com decote e colares. Sempre use calças com o corte reto e sem pregas. De preferência em cores escuras, porque às claras aumentam o volume.
Se quiser usar um jeans legal, com lavagem diferenciada, prefira os que possuem as laterais mais escuras. Mini vestidos que cubram o quadril podem ser usados com um jeans justinho, deixando você antenada com a moda.
Só tome cuidado com as estampas grandes e geométricas. Dê preferência ao tecido liso ou bicolor, com a cor da lateral mais escura. As calcinhas com tensor também são úteis para dar uma apertada, mas escolha um modelo que não aperte demais, sob o risco de criar marcas na perna.

Continua

Disfarce suas neuras e mostre o corpo no verão

Esconda os furinhos da celulite: Tecidos leves e principalmente em tons claros, destacam a celulite nas pernas e bumbum. Ou seja: evite. Calça branca, mesmo de sarja, também pode acabar mostrando os furinhos indesejáveis. O ideal é preferir tecidos mais encorpados. Quem realmente precisa das roupas claras (caso de quem trabalha de branco), deve usar a blusa no comprimento abaixo do bumbum, terninhos mais compridos na parte de trás e calças com tecidos consistentes.

Ponha mais recheio no decote: Os modelos de sutiã push-up são a melhor opção para aumentar os seios. São aqueles que possuem o fecho frontal, juntando e levantando ao mesmo tempo. Modelos com enchimento preso no forro interno também fazem diferença e ficam bem naturais. De todo jeito, experimente antes de comprar. O melhor tipo é aquele que não aperta os ombros, os seios e nem as costas (deixando as gordurinhas salientes).

Diminua o volume e abuse do decote: Tem quem faça de tudo para aumentar, mas muita mulher sofre é com o número muito grande do sutiã. Se despeitada nunca foi seu apelido, aproveite os modelos com aro, sem bojo e de copa inteira. Eles disfarçam o volume natural. Agora, para modelar os seios fartos, o sutiã deve ter o bojo e o decote pronunciados. Assim tudo fica no seu devido lugar, e o colo ganha um destaque bonito.

Permaneça elegante, sem muita roupa: O calor é um desastre para quem precisa manter o visual impecável. Fica difícil segurar a pose com o corpo suando debaixo de um monte de roupa. Contra isso, um bom salto faz milagres. Eles dão um ar mais arrumado a qualquer produção básica. Veja como usar os principais modelos:

Princesa: elegante e levemente mais grosso. Varia de 4 a 7cm. Fica super bem com calça convencional ou um pouco mais curta. São bem confortáveis e excelentes para trabalhar.

Anabela ou plataforma: altos ou baixos, proporcionam bastante conforto. São mais adequados durante o dia. Porém, podem dar um ar mais pesado à produção.

Agulha: pode ter até 9 cm, é fino e sexy. Apesar de nunca sair de moda, não deve ser usado sempre porque prejudica a postura e os pés. O ideal é usá-lo em ocasiões em que não precisará ficar muito tempo em pé. Mas, independente do tipo, postura e equilíbrio são fundamentais. Nada de ficar capengando por aí.

Continua

Disfarce suas neuras e mostre o corpo no verão

Cintura sem curvas, pernas curtas, e tronco largo: disfarce tudo ao mesmo tempo. A calça com cintura alta é o segredo do guarda-roupa de quem tem esse perfil. Mas, por outro lado, deve ser evitada pelas mulheres que têm seios fartos (para elas, o umbigo é zona limite do cós). Se você tiver o bumbum grande, nem pensar (ou ele ficará ainda maior). A peça pede uma combinação sequinha em cima, mais justa e por dentro da calça.

Pare de se queixar do bumbum tábua: Existem sim lingeries e meias-calças que dão um up no bumbum sem ter aquele enchimento tão superficial, que deixam as mulheres parecidas com uma abelha. A falta de bumbum pode ser amenizada com calças de cintura baixa e bolsos traseiros, suéteres, tops, batas e blusas longas usadas fora da calça ou saia. Peças com pregas ou efeito evasê, com volume, também são ótimas.

Suma com o culote: As calças retas com pregas, mas sem largura excessiva, amenizam o culote. Complete o truque valorizando o colo. Use saias longas, com tecidos fluidos e bem soltas. Os tons escuros e as estampas pequenas emagrecem. As cinturas baixas, marcadas com um cinto fino, também são uma boa opção. Use sempre uma cor mais clara na parte de cima. Evite vestidos justos ou com cortes na cintura, calça fuseaux ou cigarrette (a não ser com casacos ou camisas por fora) e bainhas dobradas para fora.

Continua

Disfarce suas neuras e mostre o corpo no verão

Rapidinhas na praia

1- A calcinha mais larga é ótima para esconder as gordurinhas e está super, em alta.

2- Para quem está acima do peso, nada melhor que um belo maiô. Escolha um modelo de cor mais fechada.

3-
Nesse verão continua a mistura de estampas, à parte de cima diferente da de baixo. Totalmente fashion, mas com cautela.

4- Para quem tem seios grandes o modelo cortininha é uma boa pedida. Mas no tamanho correto. Nada de mini-curtinhas. De preferência, use alças mais largas para maior sustentação.

5- Biquíni de lacinho só para quem é magrinho e com tudo em cima. Eles são proibidos para quem se incomoda com o quadril. Neste caso, use os modelos saias (calcinha do biquíni sobreposta com uma mini-saia). Um charme.

6- Para quem não tem muito seio, dá-lhe bojo, armações e estampas, muitas estampas nesse verão. E pode abusar da cortininha também, ele dá a impressão de volume nos seios.

7- Está com a barriguinha saliente? Nada de exibir a área. Biquíni só ser for de cintura alta e abuse de cores escuras ou estampas bem pequenas e discretas.

Catarina Novaes.
Consultora e Produtora de Moda

Seu Esporte Favorito Exige Uma Dieta Especial

Descubra abaixo como afinar seu cardápio de acordo com seu treino.

Apesar dos princípios ser o mesmo, cada esporte trabalha o corpo de forma diferente. Para isso, selecionamos algumas dicas para afinar ainda mais seu cardápio, acelerando os resultados do treino sem comprometer a sua saúde.

Ciclismo: andar de bike provoca um grande desgaste energético. Por isso, os carboidratos são indispensáveis antes e depois dos treinos e competições, para a reposição do glicogênio muscular, rapidamente queimado durante o exercício. Uma boa idéia é ingerir bebidas ricas em carboidratos em intervalos de 30 minutos e manter uma dieta onde 60 a 70% do valor calórico total seja em carboidratos, 20 a 30% em gordura e 10 a 15% de proteína.

Artes marciais: todas as modalidades têm um aspecto em comum, que é a manutenção do peso corporal, já que a maioria apresenta categorias divididas por peso.

Como o ideal para um atleta de luta é ter massa muscular desenvolvida, para ter força para o ataque e estabilidade na defesa, propõe-se a redução da ingestão calórica com a escolha de alimentos de baixa densidade energética, isto é, pobres em gordura e moderados em calorias.


Continua

Seu Esporte Favorito Exige Uma Dieta Especial

Para os atletas de força, a proteína tem papel importante no fornecimento de "matéria-prima" para a síntese de tecido, sendo de 1,4 a 1,8g /kg de peso as suas necessidades diárias. Para a ingestão de gordura recomendamos-se 30% ou menos do valor calórico total da dieta, sempre com moderação na gordura saturada.

Natação: cerca de
60% das calorias diárias da nadadora devem ser compostas por carboidratos, principais fontes de energia para os músculos durante os treinos na piscina. A recomendação é fazer refeições compostas por uma grande variedade de nutrientes.

O ideal é a inclusão de alimentos fontes de vitaminas e minerais (vegetais e frutas), proteínas (carnes, ovos) e carboidratos (massas, arroz, batata etc), porém, quando houver pouco tempo entre a última refeição e o treino, deve-se priorizar a ingestão de carboidratos e evitar o consumo de gorduras. Alimentos ricos em carboidratos devem ser consumidos de
1 a 4
horas antes dos treinos.

Corrida: se antes de começar o esporte você andava parada, tente reduzir o consumo de alimentos com maior teor de lipídios, como manteiga, creme de leite, molhos gordos, excesso de carnes gordurosas e frituras.

Em contrapartida, aumente as porções de frutas, sucos e vegetais, ricos em vitaminas, minerais e bastante oxidantes, ou seja, ajudam na renovação celular. Antes do treino é preciso ingerir alimentos de fácil e rápida absorção, como uma fruta ou cerca de três bolachas. Se você tiver um intervalo maior do que uma hora e meia, experimente comer uma fruta com cereais ou um sanduíche de pão com queijo /peru.

Continua

Seu Esporte Favorito Exige Uma Dieta Especial

Não se esqueça de beber água durante os treinos (de 500 a 750ml por hora de treino) e, quando voltar para casa, consuma duas porções de carboidratos (arroz, feijão, massa com molho de tomate, fatia de pão integral, entre outros) para uma porção de proteínas (iogurte desnatado, carnes, peixes, soja, queijos, leite, ovos).

Tênis: uma partida pode durar até quatro horas ou mais. Por isso, quando for jogar cuide para que
60% das suas refeições seja de carboidratos. Antes dos treinos, se for de manhã, consuma pães, cereais e biscoitos simples, com pouca gordura. Em refeições maiores, prefira as massas, arroz e preparações a base de batata.

Controle as frutas, pois são ricas em fibras que aumentam o volume do estômago. Não se esqueça de começar a ingerir carboidratos após uma hora de jogo ou treino. A medida ideal é de aproximadamente 50 gramas por hora. Quando terminar, alimente-se no máximo uma hora depois. Inclua carboidratos e proteínas no prato.

Balé: as bailarinas têm um histórico de descuidar da alimentação adequada devido às exigências com a manutenção do baixo peso. Para evitar um possível distúrbio alimentar, aposte em alimentos com um alto teor de fibras (cereais como aveia e trigo, frutas como ameixa, mamão, maçã entre outros) e beba bastante água durante o dia, e principalmente, durante as aulas. Faça vários lanches entre as refeições principais e nunca pule nenhuma delas.

Dasafio No Verão

Alongamento
Antes de iniciar e ao finalizar qualquer exercício físico faça sempre um alongamento. Ao esticar sua musculatura antes de um exercício, os músculos ficam aquecidos para o exercício e o alongamento ao final, não deixa os músculos ficarem encurtados, prejudicando a flexibilidade do corpo. Além disso, ao alongar-se você elimina o ácido láctico, o que evita dores musculares.

Dasafio No Verão




Em pé, pernas afastadas lateralmente, joelhos semiflexionados. Leve um dos braços á frente e puxe-o com a outra mão, alongando o ombro e o braço Troque o lado. Permaneça 30 segundo na posição.





Em pé, pernas afastadas e semiflexionados, cruze os braços à frente do corpo arredondando as costas e alongando-as. Permaneça 30 segundos na posição.





Em pé, pernas afastadas e semiflexionados. Leve as mãos para trás cruzando-as atrás do corpo alongando o peito e os braços. Permaneça 30 segundos na posição.





Em pé, pernas unidas e estendidas (joelhos soltos e não travados). Leve o tronco á frente e desça as mãos até onde for possível, mantendo as pernas estendidas, alongando todas as partes posteriores das costas, coxas e pernas. Permaneça 30 segundos na posição.





Em pé, puxe um dos pés de encontro ao bumbum e leve o quadril para frente, alongando a parte anterior da coxa. Troque o lado. Permaneça 30 segundos na posição.

Continua

Dasafio No Verão






Em pé, afastamento antero-posterior. Flexione a perna da frente e estenda a perna de trás. Mantenha os pés paralelos. Troque o lado. Permaneça 30 segundos na posição.





Em pé, pernas afastadas lateralmente e semiflexionados. Puxe um dos cotovelos para cima e para trás com a outra mão, alongando o tríceps. Troque o lado. Permaneça 30 segundos na posição.





Em pé, pernas afastadas lateralmente e semiflexionados. Puxe a cabeça para o lado, alongando o pescoço. Troque o lado. Permaneça 30 segundos na posição.





Em pé pernas afastadas lateralmente e semiflexionados. Leve os braços para cima e para a lateral, alongando a lateral do tronco. Troque o lado.


Continua

Dasafio No Verão

Caminhadas
Caminhadas de
15 a 20 minutos numa intensidade de leve a moderada, de preferência em ritmo constante.


Flexão de braço

Fazer 2 séries de 10 repetições cada: Em pé, de frente para uma parede, afastada meio metro da mesma, pés apoiados no chão pela ponta dos dedos e braços abertos com as palmas das mãos na parede. Flexione os braços levando o tronco em direção à parede inspirando. Estenda os braços soltando o ar.

Continua

Dasafio No Verão


Agachamento-afundo
Fazer 1 série de 15 repetições cada: Em pé, pernas afastadas no sentido antero-posterior, uma na frente outra atrás, flexione e estenda as duas pernas. Apóie a perna de trás na ponta dos dedos. Troque o lado.



Abdome superior baixo
Deitada de barriga para cima, mãos atrás da cabeça, pernas flexionadas e pés próximos ao bumbum. Inspire. Eleve o tronco, contraindo o abdome e soltando o ar. Desça o tronco até a metade, contraindo o abdome e inspirando. Faça o exercício em velocidade lenta.

Repita alongamento inicial

















sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Ginástica passiva

É possível queimar gordura sem esforço?

Conquistar um corpo sarado sem fazer nenhum tipo de exercício físico é o sonho de muitos preguiçosos, ou também de pessoas que não têm tempo para se exercitar. A busca deste sonho começa com a compra de aparelhos de ginástica passiva (equipamentos que através do eletro-estimulação movimentam os músculos sem que a pessoa faça esforço).

Porém, a dúvida paira no ar: será que só com este tipo de aparelho é possível obter corpos esculturais como os veiculados nas propagandas? De acordo com a fisioterapeuta da Unifesp, Gerseli Angeli, a resposta é não. Em estudos feitos em
2003, Gerseli constatou que este tipo de produto promete mais do que realmente proporciona ao comprador.
A pesquisa foi feita com 10 homens e 10 mulheres durante um mês, com a intenção de analisar a eficácia dos aparelhos. "O consumo de oxigênio é o indicador de quantas calorias se gasta ao fazer determinada atividade física", explica Gerseli ao relatar como foi feito o estudo.

O resultado foi que, por não aumentar o consumo de oxigênio no organismo, os eletros-estimuladores não causam nenhum gasto calórico. Desta forma, os consumidores não perdem peso e nem mesmo medidas. Ou seja, "não é possível queimar calorias através dos eletros-estimuladores", afirma a fisioterapeuta.

Gerseli diz que a queima de calorias só é possível fazendo exercícios aeróbios. Abdominais normais também não queimam gordura, apenas enrijecem os músculos da barriga. Ela afirma também que isto os aparelhos existentes no mercado são capazes de fazer. "Os eletros-estimuladores podem tonificar os músculos sim, mas não queimar a gordura. O mesmo acontece ao fazer abdominais tradicionais".

A fisioterapeuta ressalva que os 15 minutos de eletro-estimulação (tão citados nas propagandas televisivas) podem ser comparados a 200 abdominais sem carga. "Portanto, não é como a imagem que eles vendem, pois uma pessoa que já tem gordura localizada não vai definir os músculos fazendo apenas simples abdominais".

Spinning


Não adianta nada ter um bumbum perfeito, barriga sarada e braço durinho, se a beleza das pernas deixa a desejar. Fortalecer os músculos inferiores faz parte do "ritual" para manter a forma.
Uma das melhores opções para alcançar esse objetivo é pedalar. Mas não é todo mundo que pode andar de bicicleta pelas ruas admirando belas paisagens ou que tem paciência para agüentar a monotonia de pedalar em bicicletas ergométricas.

Nas academias, uma alternativa para esse dilema são as aulas de Spinning, em que os alunos pedalam em uma bicicleta especial, como se participasse de uma corrida ao ar livre. Realizada em grupo e guiada por um instrutor, a aula simula vários percursos em ambientes diferentes com variações de terreno, subidas, descidas e até saltos.

Para cada "tipo de terreno", o aluno pode pedalar com o corpo em duas posições: sentado ou em pé. Ao longo das aulas são incrementadas também as cargas, tanto no plano quanto na simulação de uma subida, dificultando as pedaladas e forçando condicionamento físico.

Mas quem pensa que o Spinning só trabalha os músculos das pernas e glúteos estão muito enganados. Os movimentos incluem ainda três posições básicas para apoio das mãos, que ajudam a eliminar a fadiga dos ombros, cotovelos e punhos.
"É basicamente um trabalho, aeróbio, que ajuda na eliminação das gorduras, no aumento da massa muscular e na melhora a capacidade cardiorespiratória", explica Zózimo Lisboa, professor de Educação Física e coordenador técnico dessa modalidade na academia Runner.

Ele ressalta que é importante complementar essa atividade com exercícios de musculação ou ginástica localizada, trabalhando assim outras partes do corpo. Deve-se, porém, tomar cuidado com o excesso de treino nesta modalidade, principalmente os iniciantes. O professor alerta que o movimento repetido do exercício, se praticado intensamente, pode provocar uma lesão.

Aqueles que já passaram por problemas no joelho ou na região lombar das costas também devem estar atentos e avisar o instrutor para que ele acompanhe melhor o treino. "As aulas podem ser feitas todos dias, desde que os alunos controlem a freqüência cardíaca. Caso façam exercícios com os batimentos no limite, o corpo precisa de
48
horas para se recuperar e estar pronto para praticar Spinning novamente" esclarece.

Alongamento antes e depois do exercício também é fundamental, assim como a regulagem correta da posição das bicicletas e o acompanhamento físico dos professores. O treinamento de Spinning pode variar entre 30 minutos e duas horas, dependendo do nível de condicionamento físico dos alunos.

Cada aula queima, em média,
500
calorias e, segundo Zózimo, após quatro semanas de treinamento já é possível notar algum resultado. O professor faz ainda uma ressalva: o ideal é combinar as aulas de Spinning com uma dieta balanceada, o que trará um retorno ainda mais eficaz.

Fuja da flacidez


Uma das principais conseqüências do "efeito sanfona" é a flacidez. Barriga, bumbum, coxa e braços são as partes do corpo mais atingidas. O processo é lento, porém progressivo, e podem ser ocasionados por diversos motivos. Emagrecer e engordar, constantemente, é apenas um deles.

O colágeno e a elastina (fibras responsáveis pela sustentação da pele) começam a enfraquecer naturalmente com o passar do tempo. Algumas pessoas, no entanto, mesmo sendo jovens, podem notar sinais de flacidez pelo corpo. Nesses casos, há grandes possibilidades de ser um fator genético. Mas isto não significa que não há maneiras de diminuí-la.

De acordo com a dermatologista da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), Ediléia Bagatin, "pessoas com esta pré-disposição à flacidez, devem evitar o cigarro e não devem se expor ao sol sem proteção e por longos períodos". Ela alerta ainda, que é conveniente iniciar um tratamento com cremes para flacidez, mais cedo que as pessoas que não têm tal fator genético.

Porém, as causas da flacidez não param por aí. Sedentarismo, alimentação inadequada e exposição ao sol em excesso também podem fazer com que uma pessoa saudável se torne flácida no futuro. Um fato curioso, é que a flacidez atinge mais mulheres que homens.

A dermatologista Ediléia explica que a incidência é maior no sexo feminino por questões hormonais. Devido aos hormônios também, é que a pele fica mais flácida, após a menopausa. Por isso, nada melhor que fazer exercícios para diminuir as probabilidades deste mal, que atinge tantas mulheres, aparecer.

Mas e aquelas pessoas que já sofrem com a flacidez? O remédio indicado é o mesmo: exercício. A atividade mais adequada para quem quer evitar, ou ainda, acabar com a flacidez, é a musculação. O professor de educação física, Gustavo Araújo Lázaro, explica que este tipo de atividade enrijece os músculos e tonifica a pele, fazendo com que a flacidez vá embora.

Segundo o professor, a freqüência mínima para praticar os exercícios é de três vezes por semana. Porém, "quanto mais tempo de treino e mais peso a pessoa conseguir levantar, maior será o tônus muscular". Gustavo explica que o tônus é a rigidez do músculo. Mas se a musculação não é seu tipo de atividade física preferida, não desanime. O professor ressalta que qualquer tipo de exercício é bem-vindo, inclusive esportes coletivos.

Evite os vexames nos primeiros dias de academia


Com esta cartilha, ninguém desconfia de que você nunca pôs os pés ali.

O primeiro e grande passo você já deu: deixou a preguiça de lado e se matriculou em uma academia. O problema agora é encarar o mundo novo que te espera, cheio de pessoas saradas e habituadas com a prática de exercícios.
Para ajudar você a enfrentar os aparelhos, as aulas e até mesmo a timidez ao entrar em um ambiente desconhecido, um especialista no assunto e montou uma cartilha para os iniciantes na malhação.

A seguir, você confere todas as dicas e os conselhos do professor e coordenador da unidade Tamboré da Bio Ritmo, Eder Rosendo. Ele aponta medidas práticas para você se familiarizar às aulas, se enturmar com outros alunos, optar pelos acessórios adequados e saber o que deve exigir da academia que está freqüentando.

Avalie seu condicionamento físico.
A tecla é sempre batida pelos profissionais da área pela importância que tem: não dá para começar nenhuma atividade física sem antes checar o seu nível de aptidão. Para isso, o exame médico e a avaliação física, geralmente exigida pelas academias na hora da matrícula, são essenciais. Com os raios-X do seu condicionamento físico, o professor consegue traçar o treino certo para você atingir seus objetivos.

Continua

Evite os vexames nos primeiros dias de academia


O papel do professor.
Na musculação, ele é o responsável pelas séries de exercícios que você vai fazer a cada mês. Depois de verificar quais são seus objetivos, ele formula um treino adequado ao seu perfil e te ensina a realizar os movimentos.

Quando você pega bem a prática, o profissional está ali para acompanhar seus exercícios e te atender, caso você tenha alguma dúvida. Mas, sossegue, ele não vai passar o treino todo ao seu lado. A função do professor é regular a aparelhagem quando o aluno precisa e ficar de olho na realização dos movimentos. Se você quiser um acompanhamento mais próximo, o coordenador da Bio Ritmo aconselha o trabalho de um personal trainer.

Já nas aulas em grupo, não resta muita dúvida: o professor ensina as movimentações e os alunos repetem as séries, orientados pelo profissional. E não se preocupe com a sua aptidão. O professor direciona o foco da aula para freqüentadores iniciantes, intermediários e avançados.

Fique de olho na sua conduta.

Além de ser disciplinado nos exercícios, você precisa se preocupar com alguns deveres na hora de puxar peso. No vestiário, por exemplo, use o armário apenas quando estiver dentro da academia, sem deixar seus pertences lá, de um dia para o outro. A maioria das academias tem armários rotativos. Basta usar um cadeado quando guardar suas coisas e, depois do treino, deixar livre para o próximo aluno.

Carregue sempre uma toalhinha com você para enxugar o suor ao realizar os exercícios. Se mesmo assim você molhar os aparelhos que usar, recorra à flanela ou aos papéis descartáveis oferecidos pela academia para deixar tudo em ordem e higienizado para o próximo. Mais uma regrinha do bom convívio na academia diz respeito à organização. Quando precisar se exercitar com os halteres, coloque-os de volta em seu lugar, respeitando a carga de cada um.

Continua

Evite os vexames nos primeiros dias de academia

Invista nos acessórios certos.
Segundo Eder, o tênis está no topo da lista de acessórios importantes para praticar exercícios. Não precisa ser um tênis caro, mas é importante buscar um modelo confortável e adequado para o tipo de atividade que você vai praticar. O professor alerta também para o seu tipo de pisada. Vale analisar o tipo de pisada que você tem com uma visita ao ortopedista, para depois escolher o tênis mais adequado, dá a dica.

Quanto aos modelitos que você pretende exibir pela academia, eles devem ser os mais leves possíveis, feitos de tecidos de fácil respiração. Eder conta que é totalmente infundada a idéia de que roupas pesadas queimam mais calorias. Abandone a idéia de usar agasalhos pesados para se exercitar e emagrecer mais rápido. O corpo precisa respirar

Atalho para amizades
O melhor jeito de se enturmar na academia é freqüentar as aulas de ginástica. Na hora de suar a camisa, os alunos interagem entre si e o clima é estimulante. Mas se você pretende ficar só com a musculação, Eder garante que o professor pode te ajudar. Converse com o instrutor sobre assuntos diversos. Conhecendo alguns dos seus gostos, ele vai te inserir em grupinhos parecidos com você e vai saber quais aulas te recomendar.

Mantenha o ritmo do treino e o corpinho no Ano Novo


Após um ano inteiro batalhando para perder quilos, reduzir medidas, ganhar fôlego e talhar músculos na academia, nada mais justo do que dar uma maneirada na semana de férias. Mas não precisa avacalhar geral. Ok trata-se de um período crítico, mas não significa que é preciso esquecer completamente as atividades físicas e jogar por água abaixo o esforço de meses.

"A cada três dias sem exercícios e se alimentando com comidas muito calóricas, o aluno, além de engordar, pode perder até
60%
do condicionamento físico que adquiriu com o treinamento regular". Por isso, nada de ficar parado.

Manutenção, sim. Pausa, não!
Manter o treino aeróbio por pelo menos
30 minutos diários é a regra essencial para não perder o condicionamento físico. Caminhar ou correr é um jeito, simples, divertido e eficaz de queimar as calorias das ceias do Natal e Ano Novo, e começar o ano sem prejuízos na balança. Nem precisa ir para a esteira. "Vale uma caminhada alternativa. Deixe o carro em casa para fazer tarefas do dia-a-dia, como ir à padaria ou à locadora. O principal é se mexer".

Fim de tarde agitado.
Aproveite o final da tarde para treinar, se estiver na praia, afinal você já teve tempo de aproveitar o sol e ainda é cedo para cair na noite. "O calor é menor, e o pique aumenta", aconselha o personal trainner da Competition. "Mas o treino ideal acontece após uma boa noite de sono e uma alimentação balanceada".

Metabolismo de fôlego.
Os exageros da ceia deixam o metabolismo mais lento. Tente montar pratos com mais proteínas e saladas, evitando as gorduras. Nessa época, vale a mesma regra do resto do ano: "Coma pequenas porções dos alimentos ao longo do dia. Aproveite a variedade no cardápio e prove um pouquinho de cada coisa ao longo do dia. Você vai saciar a vontade e ficar com disposição para malhar". Hidratação também é fundamental. Beba muita água e água-de-coco.

Pegue leve na musculação.
Se tiver como continuar o treino, pegue leve nesse período, mantendo pique e não desgastando o corpo para a volta à rotina. "Exercitar braços, costas, pernas, fazer abdominais e agachamento são suficientes para manter o ritmo do treino na semana do Ano Novo".

Hospedaria Dois em Um.
Se você quer viajar, mas ainda não sabe para onde ir, uma dica é procurar hotéis que oferecem academia ou treinos ao ar livre para os hóspedes. "Além de perder calorias, o suor do corpo contribui para um bronzeado mais bonito e uniforme".

Dois pra cá, quilinhos pra lá.


Dois pra cá, quilinhos pra lá.

Entrar em forma dançando é tão simples quanto "dois pra cá, dois pra lá". Você queima calorias, aprende como chamar a atenção nas pistas de qualquer balada, se diverte e ainda corre o risco de descolar uma companhia especial para aproveitar os finais de semana.

Samba de gafieira
Muita ginga, sem cansar Graças à ginga pulada típica do ritmo, as pernas são os músculos mais trabalhados de quem pratica samba de gafieira. O abdômen também desempenha papel fundamental na hora do remelexo - a barriguinha firme garante o equilíbrio necessário para os movimentos mais rápidos. "Nada é impossível na dança. Ela traz tantos benefícios, que você quase não se preocupa com as dificuldades". (Caloria gasta por hora: 470 kcal).

Soltinho
De olho na coreografia O nome usado nas academias esconde um velho conhecido dos baladeiros: rock dançado. Os movimentos rápidos de braços e pernas garantem bom condicionamento físico ao praticante. "O soltinho é bem rápido e os passos, bem marcados. Por ser mais coreografado, é um estilo que requer certa técnica". (Caloria gasta por hora: 550 kcal).

Bolero
Lento e coladinho "O bolero é um dos estilos mais fáceis de aprender", diz a professora da Academia Jaime Arôxa. Trata-se de um ritmo lento, de baixo impacto e cheio de idas e vindas - passos que rendem trabalho árduo para os músculos das pernas. Ao mesmo tempo, é um dos estilos que mais exige postura do aluno. "Por ser devagar, qualquer erro fica super evidente", lembra. "Mas fiquei impressionado: em uma semana, estava fazendo uma coisa que parecia impossível de conseguir quando comecei". (Caloria gasta por hora: 350 kcal).

Tango - Pernas e olhares sinuosos.
Ao contrário do que muitos pensam, os quadris devem ficar imóveis durante o tango. A elegância e a sensualidade que caracterizam o ritmo ficam por conta das trançadas de pernas e, claro, dos olhares sedutores trocados entre os parceiros. "Esse é um dos estilos mais difíceis de ser aprendido".Além de não ter o quadril solto, o tango é bem diferente dos outros ritmos a que os brasileiros estão acostumados. (Caloria gasta por hora:
470 kcal).

Salsa - Agito caribenho.
Modalidade bastante aeróbica, a salsa trabalha essencialmente os braços e as pernas. A professora garante que, na maioria das vezes, é o ritmo mais facilmente aprendido. "A salsa é muito legal, e a coreografia que meu professor montou ficou linda. Tenho boas memórias desse estilo". (Caloria gasta por hora:
590 kcal).

Forró - Chameguinho criativo.
A popularização do forró, no final da década de 90, tornou o ritmo mais familiar. "Além de ser, bem movimentado, os passos são menores e você tem mais liberdade para inventá-los...". Além disso, o estilo também proporciona músculos definidos para o corpo todo. (Caloria gasta por hora:
470 kcal).

Samba-rock - Uma pirueta, duas piruetas...
Apesar do gingado familiar, a marcação e a coordenação entre braços e pernas (sempre juntos e em movimento) é uma das principais dificuldades do estilo. O que diferencia esse tipo de samba do tradicional são os passos e os giros, bem mais constantes e velozes. "Os ritmos brasileiros nos incentivam mais porque nossos ouvidos estão mais acostumados. A música mais familiar facilita a memorização da coreografia".
(Caloria gasta por hora: 590 kcal ).

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Crônica - Quais são os objetivos da academia de ginástica?

Foto da Academia Caraguá Training
clique na foto
S.Bernardelli

Nos dias atuais, a valorização dada ao padrão de beleza é ter um corpo belo, e sempre “em forma", o objetivo para muitos é conquistar possibilidades de intervenção em: dietas, cosméticos, cirurgias plásticas, ginásticas dentro ou fora de academias, medicamentos. A mídia esta aí em constante exposição, reafirmando a necessidade de cuidados específicos e na busca constante pela “Saúde”, associada aos avanços tecnológicos.

Convivemos com a necessidade de sermos “fotogênicos da cabeça aos pés”, pois todos os detalhes do corpo devem ser bem tratados. Na busca pelo sonho de serem belos (as), inúmeros de cuidado com corpo têm sido enorme. Qual o objetivo que levam homens e mulheres serem praticantes em uma academia?

As preocupações com a beleza, o emagrecimento e a saúde são unânimes. Apesar da maioria dos praticantes, terem como a questão principal à ginástica como uma possibilidade a mais, na modificação corporal... E o que esperam com a prática da ginástica?

Tanto homens e mulheres praticantes de academia que compartilham o mesmo espaço para a ginástica e outras atividades, tem como objetivo principal, a importância de como manter o peso, a prevenção de doenças, por se sentirem mais dispostas e bem humoradas, por achar ser uma terapia ou para melhorarem a auto-estima, outros que transformaram a ginástica em um vício e etc...

No entanto podemos observar pela quantidade de academias que há, que na faixa etária dos
35
anos em diante, vemos que muitos têm como o procedimento ao gasto com a academia como se prevenir de doenças prolongando a vida, independentemente de outros fatores...

De fato, é melhor pagar uma academia do que usar o dinheiro na compra com remédios ou com outros problemas que possam vir a surgir. Geralmente uma pessoa que é sedentária, tende a procurar médicos e tomar remédios mais do que aqueles que têm uma atividade física diária.

Agora falando de estética corporal... O que te chama mais atenção quando você olha para alguém? Alguns dizem que olham para os olhos, ou para mãos, outros para as pernas, outros para o bubum, enfim... A verdade é que olhamos o corpo todo. E o que é um corpo? Podemos compará-la a uma moldura fotográfica no qual descrevemos aquilo que se vê...

Quando olhamos para uma determinada pessoa a primeira coisa que fazemos é olhá-la fisicamente, jamais temos a preocupação de conhecer em primeiro lugar o seu interior. É como se fossemos convidado para dois tipos de jantares diferentes... "O primeiro é 'chique' ,tudo é bem feito e bonito, o segundo é um jantar simples...". Mesmo desconhecendo o conteúdo de ambos, qual deles você escolheria? Tenho quase certeza que a maioria optaria pelo primeiro...

O que eu quero dizer com essa comparação? È que todos nós temos como aspecto visual, sermos levados primeiramente para o que é mais belo sem nos preocuparmos com seu conteúdo, e isso nos faz refletir sobre a nossa própria imagem, sendo assim, a nossa aparência física estará sempre em evidência em qualquer lugar que venhamos freqüentar.

Aquele que diz que não se preocupa com sua aparência, menti, e menti descaradamente... Quem é que não quer ter um bom corpo; que não quer entrar em uma loja e vestir a roupa que escolheu; que não quer ser elogiada por estar bem fisicamente? Foi o tempo em que o modelo de beleza e elegância era ter um o corpo robusto e flácido, em que a gordura significava formosura, prosperidade, sinal de aconchego e traço de distinção social principalmente para o corpo feminino.

Hoje a gordura é sinal de lenteza, se bem que estar “acima do peso” faz mal a saúde, mas isso também não significa que magreza seja sinônimo de saúde. Na verdade o bom mesmo é ter um peso ideal independente da idade que se tem. E lembrar que as academias têm por finalidade de trabalhar, não somente com a estética, mas tendo como o primordial o conceito de saúde.

19/10/2007

Academia de ginástica - um serviço latente

Foto da Academia Caraguá Training
Clique na foto

José Jean de Oliveira Toscano

A saúde é um dos muitos fatores que têm estreita influência sobre a qualidade de vida. Os parâmetros resultantes dos esforços para definir saúde têm em comum o fato de englobarem múltiplas dimensões, incluindo a saúde física, a capacidade de realizar as tarefas do quotidiano, o estado emocional e o ângulo social.

Os infortúnios de natureza, física, psíquicos e sociais, querem queiramos ou não, sempre estarão presentes, portanto, toda conceituação de saúde deve, tê-la explícita, tendo como desafio, superar essas múltiplas dimensões, nem sempre as vencendo, mas procurando sempre lhes fazer face.

Serviço de saúde é o termo genérico dado ao local destinado à promoção, proteção ou recuperação da saúde, em regime de internação ou não. Os serviços de saúde são classificados em dois grandes grupos, conforme a que se dirijam: a prestação de assistência direta à saúde das pessoas (em hospitais, centros de saúde, consultórios etc.) ou as ações sobre o meio ambiente, a fim de controlar os fatores que exercem efeitos prejudiciais à saúde.

Modernamente, as idéias de qualidade de vida e bem-estar estão intimamente relacionadas ao contexto da aptidão física. Buscar uma saúde melhor é o desafio de pessoas que abandonam a vida sedentária em busca de outro universo referencial.
As academias de ginástica são os centros de atividades físicas onde se presta um serviço de avaliação, prescrição e orientação de exercícios físicos, sob supervisão direta de profissionais de educação física.

Teria, então, esse centro condições de intervir na saúde da população que procura seus serviços? Data dos anos 30 a inauguração das primeiras academias de ginástica no Brasil; a origem do nome academia se deve ao filósofo Platão, que escolheu, como local para fundar sua escola de filosofia, um bosque que levava o nome do legendário herói grego Academos; por essa causa, a escola recebeu o nome de Academia, onde se ensinava filosofia, matemática e ginástica.

Continua

Academia de ginástica - um serviço latente

A relação entre atividade física e saúde se justifica pelas muitas evidências de que níveis apropriados de aptidão física mantida durante toda a vida por meio de exercícios regulares, exercem efeitos benéficos nas funções dos órgãos em geral, tendo como conseqüência o prolongamento da vida e de vida com qualidade.

Há certo consenso na literatura de que os componentes da aptidão física que estão relacionados à saúde são aqueles que oferecem alguma proteção ao aparecimento de distúrbios orgânicos provocados pelo estilo de vida sedentário, portanto, extremamente sensível ao nível de prática da atividade física: resistência cardiorespiratória, composição corporal, força, resistência muscular e flexibilidade.

Há, ainda, os componentes fisiológicos: pressão sangüínea, lipídeos e lipoproteínas no sangue e tolerância à glicose. A educação física ganha notoriedade na área da saúde devido à nova visão conscienciosa da sociedade perante a atividade física, em que os adeptos, em todas as idades e de todas as formas, buscam entender melhor o próprio corpo, os riscos que correm, os mecanismos para o desenvolvimento de uma vida saudável.

Entretanto, de acordo com Barbanti, o profissional de educação física não tem tido a preocupação de oferecer conhecimentos adequados sobre o relacionamento entre a prática de exercícios e a saúde.
De modo geral, as pessoas são cônscias de que a prática regular de exercícios se constitui num fator de proteção à saúde, mas daí a procurar esse serviço numa academia é o grande problema, a população, adulta e idosa, é cética quanto ao atendimento relacionado à saúde, em academias.

Daí, a necessidade reconhecida e a vontade reprimida, não se transforma em ação. A grande maioria das grandes academias investe, quando o fazem, num marketing superficial, repetitivo, reducionista, voltado ao estético, aos padrões de beleza vigentes, aos modismos da época. “Fábrica de Aviões”, é apenas um exemplo recente do tipo de propaganda, veiculada na capital paraibana, dos serviços de uma academia de ginástica.

Continua

Academia de ginástica - um serviço latente

Grandes oportunidades, em termos de retornos comerciais, podem ser potencializadas quando há investimento na área científica como, por exemplo, numa maior aderência do “cliente” ao estabelecimento e quando se fala em ciência em academia, trata-se, principalmente, da carência de recursos humanos especializados.

O investimento nestes deve preceder estratégias de marketing. As academias de ginástica ainda não absorveram a mudança conceitual, a passagem de elementos puramente estéticos para um paradigma de educação para a saúde. A satisfação com o corpo é importante para a auto-estima, entretanto, essa satisfação deve ser vista como conseqüência do processo motor e não, como fim em si mesma.

Felizmente, nesses últimos anos, a educação física, através, principalmente, de seus cursos de pós-graduação, tem contribuído muito para as ciências da saúde, tendo atuado sob uma perspectiva da saúde pública. Mesmo assim, a carência de instituições, cujo modelo de ação seja centrado na saúde das pessoas, através de exercícios físicos, continua.

Podemos apontar a Academia de Ginástica como sendo um centro com potencial para demanda em serviço de saúde primário, sendo possível sua ampliação para outros níveis de prevenção. O que é preciso fazer para que as academias estejam assim compromissadas?!

Continua

Academia de ginástica - um serviço latente

Nos últimos anos, a epidemiologia vem sendo empregada no sentido de consolidar um saber científico na relação da atividade física sobre a saúde coletiva. Defendemos que, para classificar academia de ginástica como sendo um serviço de saúde, conceitos epidemiológicos (sendo amplamente aplicada a qualquer evento relacionado à saúde da população e não especificamente a doenças) devam ser incorporados em seu âmbito.

É importante enfatizar que o uso pragmático da metodologia epidemiológica, fora dos contextos coletivos mais ampliados, já data dos anos 70, consistindo na aplicação dos fundamentos epidemiológicos modernos ao diagnóstico da condição de saúde e ao cuidado direto com o indivíduo.

Os ensinamentos metodológicos, contidos na epidemiologia, constituem fundamentos para bem organizar os serviços; em termos práticos, a epidemiologia seria utilizada numa academia como uma forma sistematizada de abordagem dos problemas, que fornece os subsídios para racionalizar, planejar, acompanhar, enfim, para avaliar criticamente as situações que todo profissional de saúde deve estar capacitado a realizar.

Na prática clínica, o processo de diagnóstico da condição de saúde das pessoas se dá através do instrumental clínico clássico: história, exame físico e testes laboratoriais complementares. Na academia, a Avaliação Funcional é que retém as informações e testes pormenorizados do aluno; estas, contudo, raramente recebem “tratamento epidemiológico”, ou seja, esmero na organização dos dados, para interpretação adequada dos resultados disponíveis.

Continua

Academia de ginástica - um serviço latente

Nos últimos anos, a epidemiologia vem sendo empregada no sentido de consolidar um saber científico na relação da atividade física sobre a saúde coletiva. Defendemos que, para classificar academia de ginástica como sendo um serviço de saúde, conceitos epidemiológicos (sendo amplamente aplicada a qualquer evento relacionado à saúde da população e não especificamente a doenças) devam ser incorporados em seu âmbito.

É importante enfatizar que o uso pragmático da metodologia epidemiológica, fora dos contextos coletivos mais ampliados, já data dos anos 70, consistindo na aplicação dos fundamentos epidemiológicos modernos ao diagnóstico da condição de saúde e ao cuidado direto com o indivíduo.

Os ensinamentos metodológicos, contidos na epidemiologia, constituem fundamentos para bem organizar os serviços; em termos práticos, a epidemiologia seria utilizada numa academia como uma forma sistematizada de abordagem dos problemas, que fornece os subsídios para racionalizar, planejar, acompanhar, enfim, para avaliar criticamente as situações que todo profissional de saúde deve estar capacitado a realizar.

Na prática clínica, o processo de diagnóstico da condição de saúde das pessoas se dá através do instrumental clínico clássico: história, exame físico e testes laboratoriais complementares. Na academia, a Avaliação Funcional é que retém as informações e testes pormenorizados do aluno; estas, contudo, raramente recebem “tratamento epidemiológico”, ou seja, esmero na organização dos dados, para interpretação adequada dos resultados disponíveis.

Continua

Academia de ginástica - um serviço latente

A avaliação que objetive verificar a condição de saúde do indivíduo deve ser organizada no sentido de investigar, especialmente, os fatores de risco e os estados fisiológicos; o conhecimento destes permite ao professor de educação física ter condições adequadas de avaliar o real impacto do exercício sobre a saúde do indivíduo, ou seja, a utilidade e segurança das intervenções, para promoção / proteção da saúde: prescrição eficaz em relação aos componentes da atividade física (tipo, intensidade, freqüência, duração).

A interligação da Educação Física, com outras áreas da saúde, deve ser prática corrente numa academia que tenha, como fim, estabelecer um modelo prático de programa de aptidão física relacionado à saúde.
O trabalho preventivo, em suas diversas classificações, será desenvolvido de modo superficial, caso o estado de saúde das pessoas não seja tido como responsabilidade de uma equipe multidisciplinar de saúde.

Já tivemos oportunidade de pôr em prática esse tipo de procedimento, causando enorme satisfação os resultados obtidos, não somente na especificidade biológica, mas em fatores emocionais e sociais que, apesar de não terem sido quantificados, foram devidamente observados.

Para o profissional de saúde, o conceito de aplicação de um programa de atividade física depende basicamente de sua visão científica, de sua experiência e do que possa realizar.
Ao repensar sua função, o profissional de educação física, que atua em academia de ginástica, deve dar um sentido coerente ao seu papel na sociedade como sendo da área da saúde, mostrando poder promover a adoção de estilos de vida ativos e, conseqüentemente, saudáveis.

Continua

Academia de ginástica: um serviço de saúde latente

Conceitos como o de educação e promoção em saúde, devem ser discutidos e postos em prática por aqueles que queiram trabalhar com a saúde da população. As queixas de ansiedades e objetivos do aluno devem ser atentamente escutadas e cuidadosamente discutidas com o profissional de educação física, fazendo valer o componente pedagógico da sua formação, tentando estabelecer um bom relacionamento, o que resultará em maior grau de aderência às prescrições.

Muitas vezes, o desafio maior desse profissional está em ouvir respeitosamente todas as expectativas do programa de condicionamento físico idealizado pelo aluno e convencê-lo a fazer justamente o contrário. Enfim, há possibilidades de classificar a academia de ginástica no setor de serviços de saúde corrente (que alguns autores denominam de sistema de doenças), visando a intervir positivamente na assistência à saúde, em particular, daqueles que se utilizam, da prática de exercícios de forma orientada e, em especial, produzir informação adequada e padronizada, concorrendo, deste modo, para a melhoria da preparação de trabalhos científicos.

O tipo de raciocínio empregado neste artigo é uma tendência, de certa forma, recente e esperam-se discussões aprofundadas a seu respeito; acreditamos que não se deve permitir que um centro importante, como a academia de ginástica, fixe-se somente em desenvolver atividades inadequadas ou conceitos antiquados no atendimento da população, no que se refere ao aspecto motor.

Poder Regenerativo Do Alongamento



Chegar em cima da hora para alguma aula de ginástica e sair correndo da academia par o trabalho Essa é a rotina de muitos malhadores que encaixam os exercícios físicos na agenda apertada. Quase sempre, na hora de pular alguma atividade, quem sai perdendo é o alongamento.

Só que esticar o corpo antes e depois de malhar é tão importante como correr por meia hora ou fazer musculação. Os efeitos de um bom alongamento são surpreendentes e fazem a diferença.
“Quando nos alongamos, há o aumento da flexibilidade muscular. Desse modo, é possível ampliar os movimentos nas articulações, afirma o professor de educação física Thiago Guimarães. Além disso, ele queima calorias e é um descanso ativo. Depois de um alongamento, o corpo se regenera e fica mais relaxado”.

Não importa se você é esportista de carteirinha ou se faz exercícios de vez em quando: todos devem fazer alongamento. Com o passar do tempo, ocorre a diminuição da flexibilidade e o encurtamento das fibras musculares. Esticar o corpo ameniza a incidência de dores, tensões e lesões, pois os músculos passam a suportar melhor o esforço.

E não é só o corpo que ganha. Estresse e irritação podem ser combatidos com a atividade. “A pressão do dia-a-dia conturbado se reflete no organismo. Para aliviar, não há nada melhor que um alongamento bem feito ou uma massagem”, explica Thiago. Pense duas vezes antes de “pular” a hora do alongamento. Alongue seus músculos e amplie sua qualidade de vida.



Sedentarismo Nas Grandes Cidades


A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) divulgou, na última semana, um estudo inédito que aponta que metade dos brasileiros não pratica nenhuma atividade física. Esse panorama mostra porque as doenças cardiovasculares matam cerca de 300 mil pessoas por ano no país.

Segundo o cardiologista Álvaro Avezum, diretor de promoção à saúde cardiovascular da SBC, esse alarmante nível de sedentarismo está intimamente ligado aos avanços tecnológicos e ao conforto das grandes cidades.
As facilidades cotidianas, como o uso de elevadores, celulares, computadores, carros e controle remoto, que deveriam aumentar a qualidade de vida, na verdade estão ajudando a degradar a saúde.

Além disso, o modelo urbanístico dos centros urbanos limita o espaço que os pedestres têm para praticar exercícios, seja caminhando, pedalando ou correndo. Poucas são as cidades que oferecem boas ciclovias e espaços seguros ao ar livre.
De acordo com uma pesquisa realizada pelo Datafolha, dos 18 aos 24 anos, 39% dos brasileiros não fazem exercícios regularmente. Entre as pessoas de 25 a 44 anos, a taxa de sedentarismo aumenta para 50%. Já na faixa dos 60 aos 70 anos, 57% levam uma vida sedentária. Isso mostra que, com o passar dos anos, a população se torna ainda mais sedentária.

Mulheres em movimento já!
Apesar da vaidade feminina que ainda é mais exacerbada que a masculina, segundo a pesquisa, 60% dos homens se exercitam regularmente contra 41% das mulheres. Apontadas como as atividades preferidas entre o sexo feminino, com 31% da preferência, a corrida e a caminhada, se realizadas pelo menos três vezes por semana, trazem benefícios para o organismo.
Mesmo com a falta de tempo e de estímulo natural, a prática de exercícios físicos é essencial para manter o corpo em forma e a saúde em dia.